Amor Próprio ou Ódio Próprio?

Parece que o certo e aceitável a se fazer atualmente é se olhar no espelho e achar um defeitinho, querer colocar silicone, fazer rinoplastia, emagrecer, ai como eu queria ter olhos mais puxadinhos, nossa como eu odeio essa boca pequena, olha essa papa, meu, que coisa horrível! E o meu cabelo? Odeio ele curto desse jeito. Nada dá jeito nele.
Odeio a minha vida. Ninguém me ama.

Eu não sou "perfeita". Queria que o meu nariz não tivesse calombo, mas mesmo assim, coloquei piercing na bridge do nariz. Que meus lábios fossem mais grossos, mas aí, desenho pra fora da linha dos lábios com ele. Que meus dedos do pé não fossem estranhos, então, uso sapatos fechados. Que minhas sobrancelhas fossem mais arqueadas, e acabo tirando metade delas e desenho elas mais arqueadas com maquiagem. Que meus olhos não fossem tão fechados, então de vez em quando uso lápis branco pra deixar eles mais abertos, com ar de bonequinha.
Coloco efeitos nas minhas fotos de vez em quando, corrijo elas, tiro uma espinha aqui, um pelinho da sobrancelha que ficou fora do lugar ali, e assim vai indo.
E eu me aceito de boas assim, não quero rasgar minha cara fora quando eu tô sem maquiagem ou com o cabelo sujo, se eu quiser, vou lá e coloco, se eu tiver com preguiça, não vou morrer por isso.

As vezes que encontrei as amiga do Nosferô no transporte público eu não tava posando de bonita. Tava sem maquiagem, cabelo sujo, roupas largas e cheia de pêlos de gato, porque minhas roupas são o lugar favorito pra eles dormirem.
Isso significa que eu sou assim de verdade?
Sim. Isso significa que eu tô 100% nem aí e que eu saio do jeito que eu quiser e eu prefiro viver no meu dia a dia o menos arrumada possível em troca de 5min na cama. Lazy bitch? Sim. Mas essa não é a minha ÚNICA face. Ninguém é unilateral, as pessoas mudam o tempo todo. E todo mundo tem uma GRANDE dificuldade de entender isso, pelo jeito!


Nessa foto eu estava me amando muito, minha auto-estima estava altíssima, eu me olhei e amei com todas as forças o que vi. E não tenho VERGONHA ALGUMA de dizer isso, não dou a mínima se pareço convencida. NÃO É ERRADO SE AMAR. Com ou sem maquiagem, com ou sem corset, com ou sem efeitos de foto, não importa. Eu amei o que vi e tá ótimo!

Aí se você olha uma pessoa que se vê no espelho e fala: "cara, eu sou muito linda!" você acha que ela tá sendo convencida! Como uma pessoa com essa unha horrorosa, esse joelho torto, pode se achar bonita?
Tem que ser mesmo como aquela menina da capa da revista, ou aquela blogueira famosa que é super linda, nossa como ela é perfeita, olha aquela menina do instagram, parece uma bonequinha, meu deus que linda, por que você não me fez assim, senhor? 
É muita INOCÊNCIA achar que acima dos efeitos de foto, do photoshop e da maquiagem, que as pessoas se olham no espelho e falem NOSSA COMO EU ME AMO.
É absurdamente inocente pensar dessa forma. Nós somos ensinadas a nos odiar desde sempre. Quer saber como?

A sociedade e a mídia gostam de pessoas inseguras. Isso dá força pra elas imporem o que elas quiserem em cima de você. Gostam de apontar suas fraquezas, de dizer pra você que você PRECISA arrumar esses dentes, ficar com o corpinho malhado que nem daquela panicat da tv... é disso que eles tiram dinheiro, e é disso que eles tiram sua confiança. Gostam de ter o controle sobre você. Eles precisam disso. Precisam de pessoas dependentes para manter o controle. É como o traficante que precisa de dependentes pra vender sua droga, sem dependentes, o traficante vai falir! É isso que mantém tudo rolando.

NÃO É ERRADO gostar de si mesma. ERRADO é não gostar. ERRADO é ceder ao achismo dos outros.
Algumas pessoas já perderam tanto a identidade que não sabem nem o que é opinião própria nem o que é imposição. E é isso que me preocupa bastante. Se olhe no espelho, acima de julgamentos, acima da opinião alheia. E se olhe de novo, e de novo, até você perceber que se você é assim é porque você precisa tirar algo disso, aprender algo com aquilo que você tanto odeia.

Pare de se odiar. A culpa não é sua, e sim da ignorância alheia, da intolerância alheia,  da babaquice alheia, de como as outras pessoas acham que exercem algum poder com a OPINIÃO ÚNICA, VERDADEIRA E INCONTESTÁVEL DELAS.
Não confie em quem quer impor coisas em você com a desculpa de que quer seu bem.
Quem REALMENTE quer seu bem está acima de aparências, de gênero, de orientação sexual, de cor, de empregos, piercings, tatuagens...
Fique perto de quem REALMENTE queira o seu bem. E não de quem faz você se olhar no espelho e se sentir um lixo.

Ruru ama vocês.
Bêzo!
Share on Google Plus

About Rubia (lubbyh)

Dona e fundadora deste blogusho, sou doida por gatos, alérgica a amendoim e leite (tutorial de como me matar se você me odeia)!

0 comentários:

Postar um comentário

Artes e desenvolvimento por Rubia Del Vecchio. Tecnologia do Blogger.